O que é um bom Layout?

Para iniciarmos nossa conversa, primeiramente precisamos definir o que é um bom layout. Não estamos falando apenas sobre seu contexto estético, uma vez que isso pode agradar à uma parte dos usuários e ao mesmo tempo não agradar a uma outra parte; mas sim estamos falando sobre a conjuntura organizacional de um site, de como seus elementos estão dispostos, a ordenação dos tópicos e de seu arranjo como um todo.

Um bom layout é aquele que é claro e objetivo para a navegação do usuário. Quanto mais tempo ele levar para encontrar o que procura, pior serão os seus resultados.

John Williams

Os princípios de um bom layout.

Como quase todas as estratégias digitais, a criação de um layout não foge à regra. É indispensável realizar um planejamento inicial para tramar cada ação a ser executada dentro do processo de criação. E, a partir do wireframe construído no processo de Interface Design, iniciaremos a construção do layout para o seu site, onde será possível transformar as marcações de elementos em funcionalidades com vida.

Estamos falando basicamente em adicionar cor, tipografia, forma, ícones e conteúdo ao esqueleto anterior. Mas lembre-se que este processo é igualmente importante quanto ao anterior e sua estética deverá ser guiado pela identidade visual da empresa, com o único objetivo de estabelecer um vínculo de credibilidade entre a Marca da sua empresa e a nova plataforma que será lançada.

Se até essa etapa sua empresa ainda não possuir uma identidade visual ou guia de marca bem definido, é o momento ideal para construir uma marca de impacto no mercado e que possa ser assimilada facilmente por seu público alvo.

Envolva, também, a equipe de Marketing e comunicação da sua empresa nesse processo. A qualidade das redações, slogan e artifícios publicitários serão explorados ao máximo para tornar a experiência do usuário mais agradável e autêntica.

1. Padrão Visual

Quando os elementos visuais criarem forma, pense que eles serão reutilizados em situações semelhantes em outras páginas e telas, pois assim criará um padrão visual e auxiliará na fixação de sua identidade visual. Evite confundir os usuários utilizando diferente elementos para o mesmo propósito. O ideal é ele reconhecer a ação que irá executar apenas pelo visual do elemento, sem a necessidade da leitura do texto de apoio que nele será inserido.

Essa regra de padrões servem também para as cores, títulos, fontes, campos de formulários, etc.

Temos um grande compromisso com o estabelecimento de padrões para que o usuário seja automaticamente educado pelo layout, assim ele saberá como usar os diferentes elementos visuais. É mais um recurso a favor da objetividade e da simplificação de recursos.

2. Confiabilidade

Esse quesito é importante para reforçar sua marca e sua identidade visual já existente e estabelecer um laço de credibilidade entre o que você está lançando e a reputação da sua empresa.

Imagine você acessando seu Bankline e, de repente, se depara com cores diferentes, fontes que seu banco não costuma usar e uma linguagem diferente da normalmente empregada. Você teria coragem em colocar seus dados e sua senha ali? Provavelmente não.

Então se coloque no lugar do seu usuário. A segurança e credibilidade nos meios digitais vale tanto quanto a própria marca da companhia.

3. Desejável

Utilize estratégias de marketing e posicionamento de marca que sua empresa já tem para incorporar sentimento de desejo nos usuários. Crie conteúdos, posicione os elementos de uma forma que tudo fique elegante, clean e harmonioso para ele.

Se o seu público alvo acessar sua aplicação e gostar do que ele vê, certamente ele desejará se tornar o seu cliente.

Lembre-se: o Marketing não é somente um mercado de necessidades, mas também de aspirações. O que você precisa? O que você quer ser? Onde você quer chegar?

4. Comunicação

Este fundamento é básico e essencial para qualquer estratégia digital. A qualidade da redação e proximidade na interação com seu público é um diferencial para a admiração e fortalecimento de sua marca.

Se você quer ter clientes defensores em seu negócio, desenvolva conteúdos relevantes, simples, e de fácil compreensão para eles. Estude a cultura do seu público e fale a língua deles na hora certa.

Isso significa estar atento a detalhes e analisar todos os aspectos do layout que precisam de textos para existir algum entendimento entre a aplicação e o usuário. Por exemplo:

  • Títulos intuitivos;
  • Resumos de funcionalidades e páginas;
  • Descrição detalhada de produtos e serviços;
  • Custos e valores envolvidos;
  • Confirmações de ação (caso de compras, ativações, cadastros, etc);
  • Mensagens de sucesso e erro amigáveis nas transações (transparência);
  • Texto envolventes;
  • Jamais faça pegadinhas com letras minúsculas e termos dúbios.

Não brinque com a paciência e senso de humor das pessoas. Se tratando de conteúdo, seja transparente e honesto ao desenvolver qualquer argumentação de negócio em seu layout. Deixe sempre os valores e condições de pagamento evidenciados para a boa assimilação de quem está interessado na sua empresa.

Informações enganosas e redações com gramática comprometidas irão destruir a reputação de qualquer empreendimento na web, por melhor e mais inovador que seja seu visual possa ser.

Do contrário, um bom planejamento de conteúdo de forma clara, simples e transparente contarão pontos com o público e também com mecanismos de buscas orgânicas (SEO).

5. Tipografia

Esse elemento visual é muito negligenciado por inúmeras  empresas, porém, acreditamos ser um recurso muito valioso para deixar a leitura geral mais agradável e Call to Actions mais eficazes.

Há mais um ponto de atenção: boas fontes trabalham em seu favor para tornar o que está escrito mais claro e compreensível à qualquer tipo de pessoa, lembre-se que um bom layout é aprovado por uma criança de 6 anos e também pelos nossos avós.

Nota: Planeje com sua TI um tratamento nos campos de formulários, imagens e blocos de textos para permitir o correto funcionamento de softwares de leitura para deficientes visuais (conforme recomendações internacionais do W3C).