Em decorrência dos problemas causados pelo coronavírus (COVID-19) à nossa sociedade, foi exigido que mudássemos nosso modo de agir e comportar, de forma que se adapte às novas (e quiçá futuras) regras de convivência e de consumo no cotidiano social. Essa mudança será parte de um conjunto delas que impactarão no dia a dia das pessoas em todo o mundo, e para as empresas não será diferente.

 

A Coronacrise

Em sua grande maioria, a economia das empresas já sentiram as sequelas da coronacrise, seja por falta de demanda ou por impossibilidade momentânea de se manter em atividade. E a certeza é que esses efeitos ficarão marcados em nosso cotidiano por um bom tempo, nos obrigando a aprender e conviver com um novo comportamento de consumo em geral. Esse novo comportamento se deve, principalmente, à mudança de hábitos e costumes, tornando o consumidor mais atento e cada vez com mais quesitos avaliativos para os produtos e serviços. Consequentemente, as empresas que querem sobreviver à esse novo cenário, deverão acompanhar esse movimento e se adaptar à esse novo modus operandi, pois ele veio para ficar.

A Mudança de Comportamento do Cosumidor

Dentre todos os fatores que irão mudar durante e após essa pandemia, o comportamento do consumidor será uma das mais importantes. O reflexo da economia fez com que o consumidor se tornasse mais exigente e cauteloso com suas compras, um comportamento que já vinha se sucedendo gradativamente ao passar dos anos, porém, agora, diante desse novo espectro, esse movimento foi acelerado. E, de certa forma, isso obrigará às empresas a fornecerem serviços e produtos com maior qualidade, atendendo as exigências e expectativas de seu ‘novo’ consumidor. Porém, o maior problema decorrente do coronavírus que afetou diretamente a economia das empresas fora a restrição de deslocamento, impossibilitando o consumidor do alcance físico e presencial para seus serviços e produtos, restringindo esse consumo através do meio digital.

Contra-atacando a coronacrise

Em buscas de maneiras para amenizar os efeitos da coronacrise e estancar as perdas econômicas, empresas fizeram severos cortes em investimentos, despesas e até funcionários. Em contrapartida, outras empresas partiram para o contra-ataque. A fim de tentar enfrentar as limitações causadas pela crise, essas empresas buscaram estratégias com resultados à curto e longo prazo, para permanecer em atividade durante esse período recheado de limitações e também aprimorar suas estratégias de negócio, complementando com novas idéias. E essas estratégias, em sua grande maioria, são executadas através do meio digital, principalmente já de início para comunicar com seu público sobre as medidas e cuidados que a empresa está adotando à respeito do vírus COVID-19 e como isso impactou/impactará em suas atividades. E, de certa forma, essa nova imposição de mercado abriu portas para uma oportunidade.

É possível ter uma oportunidade em meio à uma crise?

Se existe uma oportunidade para as empresas em meio à toda essa crise, com certeza é esse movimento de migração da sua empresa para o ambiente digital.

Primeiramente, há de se conscientizar que as estratégias digitais são as principais soluções à curto prazo para os problemas atuais. Varejistas estão disponibilizando seu estoque apenas em lojas virtuais, profissionais da saúde estão aderindo à telemedicina para evitar aglomerações em centros de saúde, restaurantes estão utilizando canais digitais para realizar suas entregas, artistas estão recorrendo à ferramentas de transmissão de vídeo em tempo real para realização de shows. Todos os setores que possuem uma pequena porta para o digital, está explorando ao máximo essas possibilidades.

Outro fator que contribui para você acreditar que isso pode ser uma oportunidade, é que em todos os casos essas estratégias digitais serão parte complementar e permanente do seu plano de negócio. Se você ainda não está inserido no ambiente digital, você está perdendo um nicho de consumidor muito grande, e a sua concorrência agradece. 

Por fim, há de se lembrar que essa migração para o ambiente digital já é uma tendência no mercado atual. Os benefícios que essas estratégias trazem para o empreendedor são diversos, e se há um momento para colocar esse plano estratégico em prática, é agora.

“Enquanto uns choram, outros vendem lenços”.

Nizan Guanaes, co-fundador do Grupo ABC de Comunicação

 Apesar de atravessarmos um momento caótico, não podemos nos desesperar. A crise e os momentos difíceis só são determinantes e cruéis para quem não enxerga as oportunidades.